Reuters logo
ACÇÕES PORTUGAL-BCP afunda 7 pct p/ mínimo histórico com diluição 'cash call'
June 5, 2012 / 12:51 PM / 5 years ago

ACÇÕES PORTUGAL-BCP afunda 7 pct p/ mínimo histórico com diluição 'cash call'

LISBOA, 5 Jun (Reuters) - As acções do Millennium bcp estão a cair mais de 7 pct para o valor mais baixo de sempre, nos 0,087 euros por acção, com os investidores a temerem o efeito diluitivo do previsto ‘cash call’ de até 500 milhões de euros (ME), segundo traders.

As acções do maior banco privado português em activos estão a cair 7,29 pct para 0,089 euros na NYSE Euronext Lisbon , tendo-se negociado 38 milhões de acções no valor de 3,5 ME, estando o índice de referência PSI20 a subir 0,08 pct para 4.477,62 pontos.

“Esta descida deve-se ao plano de capitalização ontem aprovado. O aumento de capital (cash call) terá um efeito diluitivo sobre as acções e, por outro lado, existem dúvidas no mercado sobre a capacidade do BCP de devolver ao Estado no prazo previsto de cinco anos o montante que vai pedir à linha de capitalização da troika (3.000 ME)”, disse Gualter Pacheco, trader da Go Bulling.

A descida dos títulos do banco acentuou-se na sequência da divulgação de um ‘research’ da Espírito Santo Investment Bank em que corta a avaliação do BCP dos anteriores 0,18 euros para 0,10 euros por acção, uma vez que as acções “poderão sofrer alguma pressão devido à potencial diluição nos aumentos de capital”.

Além disso, os analistas referiram que o montante que o Millennium bcp vai receber na forma de obrigações contingentes (‘CoCo bonds’) colocará “pressão no balanço do banco e poderá gerar preocupação nos investidores quanto à capacidade do banco de os reembolsar”.

Acrescentaram: “estimamos que o BCP poderá atingir um rácio ‘core capital’ confortável, de 10,3 pct pelas regras da Autoridade Bancária Europeia (EBA) e de 13,3 pct pelas do Banco de Portugal (BP) (...). A questão é se o BCP será capaz de pagar os 3.000 ME em CoCos antes da sua maturidade”.

Os analistas acreditam que o BCP deverá ser capaz de o fazer, mas consideram que após o reembolso das ‘CoCo bonds’ o rácio ‘core Tier 1’ deverá situar-se em 9,3 pct, “abaixo da média dos bancos europeus”.

Por Filipe Alves; Editado por Sérgio Gonçalves

Our Standards:The Thomson Reuters Trust Principles.
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below